segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Através do desenho, mergulho não só num universo onírico mas também num universo apocalíptico. É este panorama digno do Apocalipse que eu encontro no caos de São Paulo, conferindo-lhe uma vertigem única em todo o mundo. No dia em que aí cheguei, novas e delirantes visões invadiram a minha mente fazendo-me sentir o filho de uma cidade insana naufragada num futuro esquecido, um títere da minha própria realidade corroído por saudades dos tempos que ainda hão-de vir. Eu sou apenas mais um entre tantos outros que voam sobre suas avenidas e suas torres em direcção a um crepúsculo que se liqüefaz sobre a lâmina do horizonte


Through drawing, I plunge not only in an oniric universe but also in an apocalyptic one. It is this panorama worthy of the Apocalypse that I find in the chaos of São Paulo, giving it an unique vertigo in all the world. The day I arrived there, new and delirious visions invaded my mind making me feel the son of an insane city merged in a forgotten future, a puppet of my own reality corroded by nostalgia of times which are yet to come. I’m just another one among so many others that fly over its avenues and viaducts towards a twilight that liquefies itself over the horizon’s edge




Pedro De Kastro, São Paulo 2002

Um comentário:

davi glass disse...

Oi Pedro,

Tudo bem? Aqui Julio Nobre. acabei de saber que o Ricardo Rosas morreu. fazia tempo que não nos víamos e achei que ele tinha se mudado para Fortaleza. Agora vejo, infelizmente, que a mudança foi muito mais radical. Você sabia da história? Do que ele morreu? Estou ainda um pouco chocado. Mande notícias.
Abraços
Julio
julionobre@uol.com.br